24 abril, 2019

Tadros reúne-se com chanceler Ernesto Araújo

Crédito: Felipe Maranhão

Tadros e chanceler Araújo estavam acompanhados do vice-presidente Luiz Carlos Bohn e do diretor Rubens Medrano

O presidente da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), José Roberto Tadros, foi recebido em audiência hoje (24/04) pelo ministro das Relações Exteriores, Ernesto Henrique Fraga Araújo, para debater questões ligadas ao Mercado Comum do Sul (Mercosul). Tadros estava acompanhado do vice-presidente da CNC Luiz Carlos Bohn e do diretor da entidade Rubens Medrano.

Tadros falou ao chanceler sobre a sua participação na Conferência Internacional do Comércio, que reuniu entidades empresariais, algumas das quais integrantes do Mercosul, realizada dia 21 de março, em Buenos Aires. Além da anfitriã Argentina, estavam no evento representantes do Uruguai, Chile, Paraguai e Bolívia.

Ficou decidido que a próxima reunião será organizada pelo Brasil, tendo a CNC como instituição anfitriã. Segundo Tadros, os empresários manifestaram o desejo de um encontro com o presidente Jair Bolsonaro, “no sentido de que ele assuma o protagonismo para a integração do Mercosul, que hoje só existe na retórica dos governos”. Argentina e Chile foram as nações mais veementes na defesa dessa ideia.

“O Chile, é importante lembrar, tem mercado no Pacífico, onde se concentra a maior parte da população do mundo, com destaque para a China e a Índia. Agora, apenas aguardo uma correspondência do Mercosul, escolhendo uma data e oficializando o convite ao presidente Bolsonaro. Vamos avançar muito nesse encontro, afinal é um reclamo dos empresários de toda a América do Sul”, disse.

OPEP de alimentos

Os empresários entendem ainda que é preciso criar o equivalente a uma OPEP (Organização dos Países Exportadores de Petróleo, organização internacional de produtores de petróleo no mundo) na área de alimentos. O ministro Araújo revelou que, na origem, essa era uma ideia sua. “O Brasil, que tem uma base econômica robusta e sólida, só tem a ganhar fazendo um bloco econômico forte”, observou Tadros.

José Roberto Tadros disse ter saído satisfeito com os “comentários muito positivos do ministro Araújo, afinal trata-se de um projeto de grande alcance. Hoje, essa integração vem evoluindo a passos de cágado, até mesmo estacionado há pelo menos 30 anos. É o momento, pois, para ser dado um up grade na integração sul-americana.” O ministro das Relações Exteriores disse que a negociação pode avançar durante a visita que o presidente Bolsonaro fará à Argentina ainda neste primeiro semestre.

Escritório na Argentina

O presidente da CNC anunciou ao ministro que está estudando criar um escritório avançado da entidade em Buenos Aires. “Esse já era um objetivo do meu antecessor, Antonio Oliveira Santos, que não avançou. Quero levar esse projeto adiante porque a Argentina é um parceiro importante e indispensável. Segundo José Roberto Tadros, ainda não há prazo definido para conclusão dessa iniciativa.

Também participaram do encontro do Palácio Itamaraty a secretária-geral da CNC, Simone Guimarães, e a chefe da Divisão de Relações Institucionais, Nara de Deus Vieira.

Comentários

0

Os comentários serão moderados, portanto evite o uso de palavras chulas, termos ofensivos ou comunicação vulgar. Se tiver alguma dúvida sobre o tema abordado aqui, use a nossa Área de Atendimento. Talvez a resposta já esteja lá.

Comentar

O conteúdo deste campo é privado não será exibido ao público.